Presidente do CreciSP aposta em aquecimento 
do mercado imobiliário na RMVale e no país

CreciSP

O CreciSP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis) promoveu na tarde de hoje (29/3) em sua regional de São José dos Campos um encontro de membros do grupo de trabalho no qual foram abordadas as perspectivas do mercado imobiliário para os próximos meses.

Em entrevista ao Desenvolve Vale, o presidente do CreciSP, José Augusto Viana Neto, se mostrou otimista com as possibilidades, apesar das incertezas de um ano atípico.

“A habitação é uma necessidade social que vem aumentando demais no Brasil. O mercado imobiliário tem um crescimento orgânico constante. O programa Minha Casa Minha Vida, por exemplo, surgiu para resolver um déficit de mais de 7 milhões de unidades, viabilizou mais de 5 milhões e, quando acabou, o déficit estava em 5,8 milhões”, comentou.

Viana afirmou que a mudança de alguns cenários podem dar mais fôlego ao setor. “Se tivermos um pouco de paz política, aumento do emprego formal e diminuição dos juros para financiamento – que já está acontecendo, primeiro com a Caixa e depois os outros bancos –, o mercado imobiliário crescerá ainda mais.”

Vindo para São José de Caraguatatuba, o presidente do CreciSP conheceu hoje a nova Tamoios e citou a obra como um fator importante para a valorização de imóveis na região. 

“A estrada está maravilhosa, muito segura e garantindo conforto. Além disso, o Litoral Norte é uma região muito preservada, que tende a se valorizar bastante”, avaliou.

Para ele, a RMVale tem bons horizontes pela frente no setor imobiliário. “É uma região fantástica, com uma economia mais forte do que a de muitas capitais. Isso reflete diretamente no mercado imobiliário, que acompanha essa pujança”, completou.

Venda e aluguel de imóveis

A pesquisa mais recente divulgada pelo CreciSP, relativa a dados de janeiro, mostrou que houve queda de 17,15% na venda de imóveis usados no Vale do Paraíba e Litoral Norte, enquanto as locações subiram 21,89%. 

Os dados obtidos junto a 98 imobiliárias e corretores de 17 cidades pesquisadas apontam que em janeiro foram vendidas mais casas (75,86%) do que apartamentos (24,14%), com a maioria deles (56,26%) enquadrada nas faixas de preços de até R$ 300 mil.

Esses imóveis foram vendidos principalmente à vista (33,96% do total) ou com pagamento parcelado pelos proprietários (35,85%). As vendas por financiamento bancário atingiram 26,41%, seguidas de longe pelas por crédito de consórcios imobiliários (3,77%).

O crescimento no volume de imóveis alugados na região ficou concentrado em casas e apartamentos com aluguel mensal de até R$ 1.750 (58,34% do total). A pesquisa destacou a preferência dos novos inquilinos pelas casas (90,48%).

Para o presidente do conselho, a queda nas vendas foi reflexo dos altos índices de desemprego, inflação e juros. O aumento na quantidade de locações em janeiro também foi motivado pelas férias e decisões de mudança temporária ou permanente para o litoral, segundo Viana. 

A pesquisa CreciSP foi feita em Caçapava, Campos do Jordão, Caraguatatuba, Cruzeiro, Cunha, Ilhabela, Jacareí, Lorena, Monteiro Lobato, Pindamonhangaba, Santa Branca, São Bento do Sapucaí, São José dos Campos, São Sebastião, Taubaté, Tremembé e Ubatuba.

Deixe sua opinião