Felicio aposta em revisão na lei de incentivos e revisão do código de obras para retomar crescimento no pós-pandemia

Reeleito no primeiro turno, com 58,2% dos votos válidos, o prefeito de São José dos Campos, Felicio Ramuth (PSDB), garante que uma das prioridades de seu novo mandato é a geração de empregos em um cenário pós-pandemia do novo coronavírus. Para tanto, o tucano aposta em uma revisão na lei de incentivos fiscais na tentativa de atrair novas empresas e diminuir a carga tributária aos pequenos e médios empresários da cidade.

O prefeito recebeu a equipe do Desenvolve Vale para um bate-papo sobre as prioridades de sua próxima gestão. Felicio afirmou que não acredita em uma segunda onda da Covid-19 em São José dos Campos e que, ao contrário do que foi pauta na corrida à prefeitura, não existe uma desindustrialização em curso na cidade. 

“Muito pelo contrário, o que existe em São José dos Campos é um investimento na indústria. Mas esse fenômeno, ao contrário do que acontecia nas décadas passadas, não representa centenas ou até milhares de empregos na cidade. O modelo de indústria 4.0 infelizmente gera muito menos empregos e, às vezes, até desligamentos na empresa conforme a modernização das linhas de produção. Frente a esse cenário, precisamos estimular a vinda de novas empresas, novas indústrias e os serviços que podem ser prestados pela nossa população a essas corporações”, afirma.

Felicio Ramuth foi reeleito no primeiro turno, com 58,2% dos votos

De acordo com Felicio, o movimento de atrair novas indústrias caminhará de forma conjunta com planos para diversificar as atividades econômicas na cidade. Um exemplo é o Plano de Logística Integrada, projeto em andamento que prevê atrair empresas do setor, aproveitando a localização privilegiada da cidade entre as maiores metrópoles do país: Rio de Janeiro e São Paulo. Alinhado a esse projeto, está o retorno das atividades do Aeroporto de São José dos Campos, que, de acordo com a proposta do prefeito, pode se transformar em um hub para atrair empresas de logística.

Modernização do código de obras

Um dos principais pilares para a recuperação da economia, o setor da construção civil vai ganhar uma atualização em seu código de obras na nova gestão. Com o novo código, o prefeito promete diminuir prazos para conceder licença para as obras particulares.

“É um código simplificado e adequado às novas demandas da nossa realidade. Essa é uma das prioridades deste início de gestão e ele será construído com a participação ativa dos empreendedores. Assim como sempre fazemos, vamos escutar as entidades de classe e as empresas interessadas. O prazo para o início desses trabalhos é já no primeiro trimestre do ano que vem”, afirma.

Centro de Serviços Compartilhados

Outra característica da nova gestão, segundo o prefeito, será a expansão dos CSCs (Centros de Serviços Compartilhados), modelo que já é uma realidade em São José dos Campos. Atualmente, a cidade conta com quatro unidades nesses moldes: Ball, Bayer, EDP e Pilkington. “Vamos nos espelhar em países e regiões que são pioneiros nos investimentos em CSCs, como a Costa Rica, por exemplo”, afirma o prefeito. 

Atração de negócios na área de biotecnologia

Referência na área de inovação em todo o país, o Parque Tecnológico deverá diversificar suas atuações e receber empresa da área de biotecnologia. Já há um aceno do governo de São Paulo para incentivar a chegada de novas empresas e o desenvolvimento de produtos no segmento. 

Prefeito se comprometeu a flexibilizar o código de obras da cidade

“O desafio da geração de emprego é um desafio para qualquer cidade do mundo atualmente. Precisamos estar atentos às possibilidades, fortalecer tudo aquilo que é marca registrada de nosso município: a capacidade de inovação, mão de obra qualificada e o DNA tecnológico. Aliás, no Parque Tecnológico, vamos incentivar a chegada de novos investimentos na área de biotecnologia. Estive com a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, e contamos com o compromisso do estado em apoiar essa iniciativa”, diz. 

Ensino integral

Entre as propostas do plano de gestão do prefeito reeleito está a implantação de uma plataforma de atividades que, de acordo com ele, vai possibilitar a implantação de um ensino integral “híbrido” nas escolas da rede municipal. A plataforma possibilitará duas horas diárias adicionais à aprendizagem. 

“São atividades complementares às da sala de aula, que poderão ser acessadas pela internet ou pela programação da TV Câmara. Por isso, teremos a distribuição de chips para alunos de famílias carentes. Ainda vamos trocar os computadores de nossa rede de professores do 1º ao 9º ano. A plataforma também vai permitir a implantação do ensino bilíngue em toda nossa rede municipal. E, num segundo momento, podemos expandir o curso digital de língua estrangeira para toda a cidade”, afirma o prefeito. 

O plano de gestão ainda contempla um programa de recuperação para alunos que, devido às complicações da pandemia, perderam conteúdo nas escolas. Essas aulas acontecerão aos sábados. O foco será nas disciplinas de matemática e português. “Para esse programa, teremos a contratação de novos professores, realizando o chamamento de profissionais aprovados em editais da prefeitura”, diz.

Mobilidade

Na mobilidade, a gestão vai dar início ao processo de licitação para a Linha Verde, projeto de VLP (Veículo Leve sobre Pneus) que ligará o centro às zonas sul e leste. O início do processo licitatório será, segundo Felicio, uma das primeiras ações da nova gestão e deve acontecer ainda na primeira semana de 2021.

Linha Verde

Processo licitatório da Linha Verde (imagem) terá início já nos primeiros meses de 2021, garante Felicio

“A Linha Verde também levará desenvolvimento para diferentes áreas da cidade, com a liberação de espaços para empreendimentos próximos às estações dessa importante obra para a mobilidade urbana na cidade”, afirma Felicio.

Ainda sobre mobilidade, o prefeito afirmou que um novo acesso ao Urbanova dependerá muito da contrapartida dos empreendedores. Caso necessite apenas de recursos da prefeitura, dificilmente ele será realizado na próxima gestão. 

Pessoas em situação de rua

O prefeito ainda comentou o aumento do número de moradores de rua após o início da pandemia. “Nós dobramos o número de vagas nos abrigos municipais desde o início da quarentena. Queremos que as pessoas que lá estão se cadastrem em programas como o Pró-Trabalho e possam recomeçar suas vidas. Mas essa abordagem não pode ser compulsória e, infelizmente, há pessoas que preferem continuar nas ruas.” 

Deixe sua opinião